Ampliação e modernização do Aeroporto de Campina Grande

As obras de ampliação do Aeroporto de Campina Grande – Presidente João Suassuna, iniciadas em dezembro de 2021 e lideradas pela Teixeira Duarte, representam um passo significativo para o crescimento econômico e turístico no nordeste brasileiro. 

O projeto faz parte do consórcio da Aena Brasil que também revitalizou o Aeroporto de João Pessoa, consolidando a Teixeira Duarte como uma escolha líder em projetos aeroportuários.

Após a conclusão das obras, o aeroporto agora tem a capacidade de atender a 250 mil passageiros por ano, um passo significativo para atender o crescente fluxo de viajantes na região.

A implementação do projeto abrangeu uma série de atividades estratégicas, confira:

Ampliação da Infraestrutura

  • A área de construção foi expandida para um total de 5.134,02 m², com foco principal na reforma e ampliação do Terminal de Passageiros, que agora incorpora 3.492,35 m² dessa extensão. Essa expansão proporciona maior capacidade operacional, melhor circulação e conforto de passageiros e áreas dedicadas a serviços adicionais. 
  • O Prédio Administrativo passou por uma reforma abrangente, agregando 740,90 m² ao seu espaço de forma a contribuir para a eficiência operacional. 
  • A implementação de dois pavimentos representa uma abordagem eficiente na otimização do espaço disponível, acomodando operações aeroportuárias de maneira mais eficaz, oferecendo flexibilidade e adaptabilidade.

Desenvolvimento da Infraestrutura Aeroportuária

  • A implementação de um novo Pátio de Estacionamento de Aeronaves foi uma medida estratégica para se adequar ao Plano de Zona de Proteção (PZP), de forma a aprimorar a logística operacional e acomodar aeronaves de maneira mais eficiente. 
  • A introdução de um novo acesso, conhecido como Taxiway, proporciona uma ligação direta da pista de pouso e decolagem ao novo pátio, otimizando o fluxo de tráfego aéreo e minimizando tempos de espera. 
  • As adaptações na pista, especialmente a instalação das novas áreas de segurança de extremidade de pista (RESAS) nas cabeceiras 13 e 33 visam garantir operações aéreas mais seguras e eficazes. 
  • A escolha estratégica de incorporar estruturas metálicas fortalece a base da infraestrutura aeroportuária. Além de conferir resistência, essa abordagem oferece versatilidade estrutural, adaptabilidade e longevidade das instalações.

Inovação e Sustentabilidade

  • A implementação de um sistema de iluminação com sensores de presença e ajuste automático de intensidade reflete o compromisso com a eficiência energética. 
  • A instalação de fachadas em vidro otimiza a entrada de luz natural nas instalações, criando ambientes mais arejados e reduzindo a dependência de iluminação artificial. 
  • A introdução de pavimentos técnicos ajuda a otimizar a eficiência operacional do aeroporto, facilitando a manutenção de sistemas e instalações. 
  • As inovações nos sistemas hidráulicos e de gestão de resíduos visam não apenas a eficiência, mas a adoção de práticas ecologicamente corretas.

 

Este projeto não apenas eleva o padrão da infraestrutura regional, mas também destaca o compromisso da Teixeira Duarte com a inovação técnica e a excelência, superando desafios como logística, suprimentos, formação e retenção de mão de obra local, entre tantos outros comuns a esse tipo de operação.

 

EMPA Renova Frota e Fortalece Presença no Mercado de Infraestrutura Brasileiro

A EMPA, empresa do Grupo Teixeira Duarte, incrementou sua frota de equipamentos de infraestruturas, com a aquisição de 5 tratores de esteiras, 5 escavadeiras, que foram entregues no final de 2023 e 3 motoniveladoras, que serão recebidas no início de 2024. Esta renovação de frota reforça a prioridade do Grupo Teixeira Duarte em consolidar ainda mais a sua participação no mercado brasileiro, reforçando a atuação da EMPA nas operações de grandes volumes.

Teixeira Duarte marca presença na FATEC-SP em parceria com troca de informações e oportunidade profissional

Em uma iniciativa de estreitar vínculos com a educação e proporcionar oportunidades profissionais significativas, a Teixeira Duarte firmou uma parceria estratégica com a Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (FATEC- SP). Essa colaboração visa não apenas a troca de informações, mas também a oferta de oportunidades profissionais aos alunos interessados na área de construção civil.

Durante a visita à FATEC SP, a Teixeira Duarte apresentou uma visão abrangente de suas práticas, destacando sua trajetória, valores e impacto no mercado da construção. Colaboradores exemplificaram projetos desenvolvidos utilizando a tecnologia BIM (Building Information Modeling – Modelagem de Informação da Construção), proporcionando uma visão prática das atividades na carreira técnica.

A palestra, ministrada pelos colaboradores Carlos Estre (ex-aluno) e Mariana Gonçalves (estudante da FATEC), focou na importância de uma formação técnica e no desenvolvimento de habilidades específicas para projetos inovadores. A mudança de paradigma, indo da prancheta para o BIM, foi enfatizada como uma evolução conceitual que exige adaptação contínua dos profissionais da construção.

O evento ainda discutiu como o BIM está revolucionando a abordagem de projetos, saindo do papel e indo para a modelagem 3D. A eficiência na extração de dados e documentos foi salientada, assim como a necessidade de os futuros profissionais adquirirem conhecimentos alinhados com as demandas da inovação tecnológica na construção civil.

O processo seletivo para a posição de Técnico de Edificações também fez parte da palestra. A Teixeira Duarte utilizou uma dinâmica de grupo que proporcionou uma avaliação do perfil comportamental dos estudantes. 

Como resultado, o aluno João Pedro Vicari foi selecionado e hoje compõe o quadro de colaboradores da Teixeira Duarte. Ele compartilhou sua experiência: “A sensação de passar na entrevista e trabalhar na área que gosta, com uma empresa de renome no mercado e com a forma de tratar funcionários e clientes da Teixeira Duarte, não existe preço”. 

A parceria entre Teixeira Duarte e FATEC-SP não apenas proporcionou conhecimento prático aos alunos, mas também resultou em oportunidades concretas de emprego para os talentos emergentes. A história de João Pedro Vicari é um testemunho vivo do sucesso dessa colaboração, reforçando a visão de que a união entre empresas e instituições educacionais é essencial para o desenvolvimento profissional e a inovação no setor da construção civil. 

A Teixeira Duarte reafirma mais uma vez sua missão de fazer, contribuindo para a construção de um mundo melhor!

EMPA conclui obras iniciais do Porto Sul em Ilhéus/BA

A EMPA, empresa do Grupo Teixeira Duarte, finalizou as obras iniciais do Porto Sul, em Ilhéus, Bahia, para a BAMIN. As obras compreenderam a construção dos acessos e caminhos de serviços do Terminal Portuário de Aritaguá e a Ponte sobre o Rio Almada.

A empreitada foi vencedora do 3º Prêmio InovaInfra 2022,  promovido pela Revista O Empreiteiro, na categoria “Estruturas”, com a metodologia inovadora utilizada nas obras de construção da Ponte, concebida exclusivamente para este projeto, com a utilização de um cantitraveller, que permitiu a execução da Ponte por lançamento e cravação de estacas, tramo-a-tramo, com vão único em console de 26,40m, eliminando 18 apoios provisórios e reduzindo significativamente o impacto ambiental.

Foram 252 toneladas de vigas definitivas, 1.000m³ de concreto e 500 colaboradores dedicados para que este desafio fosse concluído com êxito.

     

     

.     

.     

 

Conheça o método construtivo utilizado

A obra foi executada com o auxílio de uma Plataforma de Apoio à Cravação de Estacas – cantitraveller, – que funcionou como estrutura provisória, composta de vigas metálicas (tipo caixão), plataforma de armazenamento e guia de cravação, sendo as estruturas definitivas da ponte (longarina, vigas e estacas metálicas e as pré-lajes) lançadas na passagem do equipamento.

Por meio deste equipamento, foram lançadas 252 toneladas de vigas e 1.000 m³de concreto, envolvendo cerca de 500 colaboradores, diretos e indiretos. Com a utilização do cantitraveller, com console único de lançamento de 26,40m, eliminaram-se os 18 apoios provisórios e reduziu-se significativamente o impacto ambiental.

O equipamento funciona apoiado nas estruturas definitivas, como viga travessa e estacas metálicas, por ele mesmo posicionadas, dando assim seguimento aos ciclos de deslocamento e avanço para execução de todo trabalho.

Após o lançamento das vigas, faz-se a cravação das estacas metálicas, lançamento e concretagem da viga travessa. As pré-Lajes dos tabuleiros também são içadas e lançadas por outro guindaste que circula sobre o tabuleiro construído, sendo a concretagem de consolidação realizada em fase posterior ao lançamento de todas elas no vão do tabuleiro.

Uma estrutura auxiliar suportada pelos pilares definitivos da ponte tem função principal de guiar os tubos metálicos das estacas na sua fase de cravação, sem recorrer a apoios adicionais para além dos pilares definitivos da ponte.

As vigas de apoio do equipamento, nesta obra da ponte em Ilhéus foram formadas por dois conjuntos de quatro vigas caixão.

A plataforma de armazenamento do cantitraveller neste projeto foi formada por um estrado de 14 m de largura por 13,5 m de comprimento, sobre o qual estavam uma grua e os martelos vibratórios e de percussão para cravação de estacas, além de outros materiais de apoio.

O movimento longitudinal no cantitraveller é realizado por cilindros hidráulicos e dispõe de travão mecânico. O guia de cravação de estacas tem sua movimentação também feita por cilindros hidráulicos.

Este Infografico ilustra todo o processo construtivo.

Além da expertise técnica, a EMPA empregou também seus principais valores para garantir o sucesso do projeto: engenharia, planejamento, compromisso, qualidade, segurança e responsabilidade ambiental.

Conheça todos os detalhes deste case de sucesso.

Evolução de Carreira e BIM foram destaque em palestra da Teixeira Duarte na Semana de Engenharia da UNESP – Campus Guaratinguetá

No  último dia 5 de dezembro, a Teixeira Duarte teve a oportunidade de promover uma palestra para os alunos do curso de Engenharia da UNESP, campus Guaratinguetá, durante a Semana de Engenharia da universidade. O evento contou com a participação dos engenheiros Laura Esteves e Luiz Büll.

Laura Esteves, Diretora de Projetos e especialista em Building Information Modeling (BIM) na Teixeira Duarte, abordou os avanços e inovações trazidos pelo BIM na indústria da construção e como ele transformou a gestão dos projetos na empresa. Sua palestra proporcionou aos alunos uma compreensão mais profunda da importância da transformação digital e da aplicação prática do BIM em projetos de engenharia e construção.

Já o engenheiro Luiz Büll, ex-aluno da UNESP e membro da equipe da Teixeira Duarte, compartilhou sua trajetória profissional desde os dias acadêmicos até sua posição atual. Ao discutir suas experiências pessoais, Luiz ofereceu uma visão autêntica dos desafios e oportunidades que os engenheiros enfrentam ao longo de suas carreiras.

Luiz também apresentou a Teixeira Duarte aos alunos, destacando a relevância da empresa no setor de engenharia e construção e sua multidisciplinaridade de atuação. Essa visão proporcionou aos estudantes uma compreensão aprofundada do ambiente de trabalho na Teixeira Duarte, sem perder de vista as várias possibilidades de crescimento profissional disponíveis.

A diversidade de tópicos abordados durante a palestra ofereceu aos alunos uma visão completa do setor de engenharia, desde as mais recentes inovações tecnológicas até as perspectivas de carreira oferecidas por empresas como a Teixeira Duarte.

A Teixeira Duarte e agradece à UNESP Guaratinguetá pelo convite e reafirma o seu compromisso em contribuir para um mundo melhor, começando pelo desenvolvimento educacional e profissional de jovens talentos na área de Engenharia.

Revista Engenharia Estudo e Pesquisa destaca a transformação através do BIM na Teixeira Duarte

Revista Engenharia Estudo e Pesquisa destaca a transformação através do BIM na Teixeira Duarte

A mais recente edição da Revista Engenharia Estudo e Pesquisa apresentou um esclarecedor artigo sobre a transformação digital da Teixeira Duarte. Laura Esteves, Diretora de Projetos da Teixeira Duarte Engenharia e Construções, compartilhou importantes insights sobre a transição da empresa de métodos convencionais para a digitalização, especialmente com a adoção do Building Information Modeling (BIM).

Explorando desafios e oportunidades

O artigo inicia contextualizando o cenário desafiador enfrentado pela indústria da construção, marcado por mudanças econômicas, regulamentares, requisitos de mercado, inovações tecnológicas e alterações climáticas. Essas transformações, embora representem uma ameaça à sustentabilidade do negócio, também abrem uma oportunidade única de diferenciação para empresas que compreendem a necessidade de mudança e implementam uma transição digital.

Laura Esteves salienta como a empresa, ao identificar a oportunidade de se destacar no mercado, abraçou a digitalização, adotando o BIM em 2016 como um passo estratégico rumo à eficiência, produtividade e excelência na qualidade final das obras.

Objetivos e inovação ao longo dos anos

Para compreender a abordagem inovadora da Teixeira Duarte, o artigo traça sua história desde 1921, quando o fundador, Eng. Ricardo Esquível Teixeira Duarte, superou desafios concebendo equipamentos específicos para cada situação e tecnologia, que não existiam naquela altura no mercado em Portugal. Essa cultura de inovação persiste, culminando em uma empresa que busca soluções engenhosas. A Teixeira Duarte, com sua trajetória marcada por pioneirismo, enfrenta agora os desafios contemporâneos com uma mentalidade voltada para o futuro.

O compromisso da empresa com a otimização e busca incessante pela excelência é evidenciado como essencial para a evolução do setor.

Perspectiva para o futuro da construção digital

A integração de tecnologias avançadas de modelagem e colaboração posiciona a Teixeira Duarte na vanguarda da transformação digital na construção, e o BIM está se tornando uma peça central na estratégia da empresa, impactando os processos, a eficiência e a excelência nas obras.

A busca por mais produtividade, sustentabilidade nos negócios, cumprimento de custos e prazos, gestões rigorosas de projetos e descarbonização são apontadas como imperativos. A transformação é essencial para a evolução da construção, e a Teixeira Duarte assume um compromisso firme com a otimização e busca incessante pela excelência.

A revista Engenharia Estudo e Pesquisa é uma publicação semestral da ABPE (Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural)

Clique aqui para ler o artigo completo.